Make your own free website on Tripod.com

geteway

 

Basicamente é uma porta de ligação mas especificamente é uma máquina intermediária geralmente destinada a interligar as redes e separa as colisões que poderão acontecer.

 Exemplos de gateway podem ser os rooters e as firewalls, já que ambos servem de intermediários entre o utilizador e a rede.

 O gateway tem acesso ao exterior por meio de linhas de transmissão de maior débito, para que não constitua um problemas entre a rede exterior e a rede local. 

Também faz parte de um gateway traduzir e adaptar os pacotes originários da rede local para que estes possam atingir o destinatário, mas também serve para traduzir as respostas e devolvê-las ao par local da comunicação. Assim, é frequente a utilização de protocolos de tradução de endereços, como oNATque é das implementações de gateway mais simples.

 O gateway opera em camadas baixas do modelo OSI e que não pode, por isso, interpretar os dados camadas superiores.

No entanto, através do uso de  métodos de detecção de ataques, o gateway pode incorporar alguns mecanismos de defesa. Esta funcionalidade pode ser complementada com uma firewall.

Os gateways tradutores de protocolos são mais utilizados em inter-redes que utilizam circuitos virtuais passo a passo. Eles atuam traduzindo mensagens de uma  rede, em mensagens da outra rede, com a mesma semântica de protocolo. Por exemplo, o open em uma rede poderia ser traduzido por um call request em outra ao passar pelo gateway.
Quando os gateways interligam duas redes cuja administração pertence a duas organizações diferentes, possivelmente em países diferentes, a operação do gateway pode causar sérios problemas.

Como a estrutura de ligação em cada uma das redes é completamente independente, para facilitar a implementação e a operação, é comum separar essas entidades também fisicamente. A cada uma dessas interfaces chamamos half gateway. Pode observar-se que a utilização de gateways para a conexão de redes locais idênticas não sofre nenhuma das restrições que apresentamos para as pontes e repetidores.

 A sua desvantagem está na sua maior complexidade, na exigência de um protocolo inter-redes, enfim, no custo da interligação.




E